DISTÚRBIOS DE MEMÓRIA

Queixas relativas a dificuldades de memória são cada vez mais frequentes nos dias atuais. A memória é a capacidade de registrar, manter e evocar fatos já ocorridos. Essa capacidade depende do nível de consciência, da atenção e do interesse afetivo envolvido na situação.

A memória é um elemento necessário a todas as atividades que exercemos diariamente, seja no desenvolvimento das habilidades motoras, seja em toda a nossa atividade mental. Inúmeros estímulos chegam a nós todos os dias. É necessário que nossa atenção – a focalização sobre alguma informação de nosso interesse – esteja ativada, de modo a neutralizar interferências, internas ou externas, que possam dificultar a aquisição de novas informações. Sendo assim, o estado de vigília e nossa situação emocional podem interferir na capacidade de consolidar essas informações.

A memória cognitiva é composta por três fases: a de fixação, a de conservação e a de evocação. A compreensão dos mecanismos destas fases é muito importante para o diagnóstico e tratamento adequados dos distúrbios de memória.

O processo de fixação irá depender de condições adequadas prévias de saúde, ou seja, da capacidade mental anterior de cada um de nós. A conservação dos elementos memorizados depende da repetição do conteúdo e da associação com outros elementos. Por fim, a evocação é a capacidade de recuperar e atualizar os dados fixados. O esquecimento é a impossibilidade de evocar e recuperar esses conteúdos.

Os distúrbios de memória podem ser influenciados por diferentes fatores e ter variadas causas, podendo ser físicos ou emocionais. Entre os físicos encontramos distúrbios metabólicos ocasionados pelo diabetes, especialmente a hipoglicemia, o hipotireoidismo, a insuficiência supra-renal, doenças pulmonares crônicas, distúrbios do sono, insuficiência renal crônica, anemia crônica, doenças que afetem o sistema nervoso central, como doenças infecciosas e doenças vasculares cerebrais, neoplasias cerebrais, traumatismos cerebrais, uso de álcool, medicações e/ou drogas, etc. Já na área emocional podemos encontrar distúrbios afetivos como depressão, ansiedade, estresse, dificuldades adaptativas, transtornos de stress pós-traumático, déficit de atenção e hiperatividade, entre outras.

A avaliação clínica e do estado emocional são muito importantes no diagnóstico das dificuldades de memória, assim como no estabelecimento do tratamento adequado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu